top of page
Buscar
  • Biofisio

Crises de choro no autismo.



O autismo é tratado na literatura médica como Transtorno do Espectro Autista (TEA), porque envolve uma variedade de apresentações clínicas relacionadas principalmente com dificuldades de comunicação e relacionamento social, que vão desde quadros mais leves até manifestações mais graves e com comprometimento importante.

O autismo pode se manifestar em um individuo desde os primeiros dias de vida mas normalmente os pais começam a perceber comportamentos diferentes á partir dos 6 meses até 1 ano de idade, o que chama a atenção dos pais inicialmente é que a criança é excessivamente calma e sonolenta ou então que chora sem consolo durante prolongados períodos de tempo As crises de choros acontecem porque a criança com autismo tem dificuldades na comunicação e muitas vezes não consegue expressar o que está sentindo ou o que deseja.

Além disso, a criança pode apresentar choro/gritos por não saber lidar com situações novas (são muito rígidos em sua rotina) ou por apresentar alterações sensoriais, onde os sons/ barulhos, os cheiros, as texturas não são suportados.

A criança com autismo pode apresentar crises de agressividade com os outros ou consigo, sendo uma forma de comunicar alguma contrariedade. Nessas horas a melhor maneira é abraçar e mostrar algo que a tranquilize

1. Pense na causa da crise

Um colapso acontece quando a criança autista não consegue mais lidar com algum fator estressante que tem sido contido de alguma forma, gerando uma crise de birra. O colapso costuma ser causado por frustrações também. Crianças autistas não fazem birra de propósito, mas porque algo as estressa. Essa é uma forma de expressarem que não conseguem lidar com a situação, estímulo ou alteração na rotina. Elas têm um ataque como recurso de comunicação, especialmente quando todas as outras tentativas não deram certo. • A birra tem muitas faces. Ela pode ocorrer em forma de gritos, choros, a criança pode cobrir as orelhas com as mãos, se machucar propositalmente ou agressão.

2.Tente fazer a vida doméstica da criança mais confortável.

Já que as birras são causadas pelo acúmulo do estresse, criar um ambiente harmonioso e amigável pode minimizar tais fatores na vida dela. • Desenvolva uma rotina para a criança sentir estabilidade. Fazer uma agenda com imagens pode ajudar a criança a visualizar e entender a rotina. • Caso as mudanças sejam necessárias, prepare a criança para o que acontecerá com imagens e histórias sociais. Explique por que essas mudanças são necessárias, isso a ajudará a a entender o que está acontecendo e o que esperar. Assim, ela ficará mais calma quando as alterações ocorrerem. • Permita que a criança se retire das situações estressantes quando for necessário.

3.Ensine-a técnicas para lidar com o estresse.

Algumas crianças autistas simplesmente não sabem como lidar com suas emoções e podem precisar de uma mãozinha extra. Parabenize-a quando ela mostrar que está usando as técnicas corretamente. • Crie alternativas para determinados fatores estressantes (som muito alto, lugares muito cheios, etc.). • Ensine técnicas para se acalmar: respirar fundo, contar, se afastar, etc. • Desenvolva um método para a criança conseguir comunicar que algo a está incomodando.

4.Perceba quando a criança está estressada e dê importância aos sentimentos dela.

Saber que as necessidades dela são normais e importantes como as de qualquer um é importante para ela se expressar adequadamente. • “Seu rosto está todo tenso. O barulho está incomodando você? Posso falar para suas irmãs brincarem lá fora.” • “Você parece irritado hoje. Quer me contar o que está lhe aborrecendo?”

5.Demonstre bons exemplos de comportamento.

A criança vê quando você está estressado e aprende a imitar o seu jeito de lidar com as coisas. Manter a calma, expressar seus sentimentos com clareza e tirar um momento para se acalmar ensinarão a criança a fazer o mesmo. • Tente verbalizar suas decisões: “Estou aborrecido, vou parar um pouco e respirar fundo algumas vezes, depois eu volto”. • Depois que você repetir um comportamento algumas vezes, a criança provavelmente tentará fazer o mesmo por conta própria.

6.Crie um ambiente calmo para a criança.

É importante reconhecer que ela pode ter dificuldades em processar e absorver muitos estímulos visuais, sons, odores e texturas. Todos esses fatores podem ser estressantes e sobrecarregá-la, gerando crises de birra. Sendo assim, um ambiente tranquilo pode ajudá-la a se acalmar. • Ensine a criança a expressar que quer ir para o quarto da calma. Pode ser apontando para o cômodo, mostrando uma imagem que represente quarto, linguagem de sinais e pedir verbalmente.

7.Faça um registro das crises.

Anotar cada vez que a criança tem um ataque pode ajudar a entender as razões para o comportamento dela. Tente responder as seguintes perguntas quando escrever sobre a próxima ocorrência: • O que a chateou?(Talvez ela esteja segurando o estresse há horas). • Quais sinais de estresse ela demonstra? • Quando/Se você percebeu que ela estava aborrecida, o que fez? Deu certo? • Como você poderia prevenir um colapso futuro?

8.Converse com a criança sobre agressões e mau comportamento.

Lembre-se, autismo não é uma desculpa para a criança ser agressiva e maldosa. Caso ele exiba esse comporamento, converse com a criança assim que ela se acalmar. Explique qual atitude específica é inaceitável e ofereça uma alternativa. • “Não foi legal bater no seu irmão. Eu entendo que você esteja bravo, mas bater nas pessoas machuca e não é legal fazer isso. Quando estiver irritado, respire fundo por um tempo e conte para mim o que aconteceu. Você não pode sair batendo nas pessoas.”

80.690 visualizações16 comentários

Posts recentes

Ver tudo

Reabilitação pós COVID-19 em Guarulhos

A Covid-19 acarretou uma crise na saúde sem precedentes em nível mundial, ocasionando altas taxas de internação hospitalar e óbitos. O sistema respiratório é o mais afetado e os sintomas podem ser var

Janeiro Branco: A importância da saúde mental.

O Janeiro Branco é uma campanha que chama a atenção para uma questão muito importante: saúde mental. A campanha ainda é nova e tem como objetivo mobilizar a sociedade em favor da saúde mental, quebran

16件のコメント


Nicoly Sibely
Nicoly Sibely
2022年9月25日

eu tenho 13 anos, descobri meu TEA semana passada, e eu consigo me entender agora, mas nunca sei oque fazer em situações de “birra”, não consigo me expressa então meus pais nunca sabem oque fazer. Na maioria das vezes costumo me esconder e chorar, nesses momentos demonstro muitos comportamentos agressivos, queria saber lidar com isso sozinha👍😐

いいね!

alinecpio
2022年5月11日

Excelente post. Fiz várias anotações e me surgiram muitas ideias para melhor trabalhar e ajudar meu aluno com autismo. Obrigada pelo compartilhamento.

いいね!

saulofreiremadeira
2022年5月08日

Meu filho tem 3 anos , não suporta a irmãzinha se u 1 anos chorar ou gritar

Mas quando ele está estressado eu levo ele para dentro do carro e ele se sente muito bem, estando na cadeirinha dele e mechendo no celular

いいね!

Darlene Costa
Darlene Costa
2022年5月03日

Meu filho dá essas crises na madrugada e geralmente é pq está com fome. Ele toma o remédio passado pelo neuropediatra e sente muita fome. Quando ele dá essa crise de choro eu abraço ele e falo que a mamãe está aqui perto dele. Ele vai se acalmando em poucos minutos. Quando ele não tomava o remédio era dessa forma mesmo que vcs estão relatando. Com o remédio melhorou bastante.

いいね!

lbwnecide
2021年11月24日

Boa tarde!meu nome é Lezelda e meu irmão tem 40 anos e está no meio de uma crise muito forte não sei mas como lidar.

Me ajudem;por favor.

いいね!
bottom of page